Mesmo com as dificuldades econômicas que o mercado tem enfrentado atualmente, ter um lugar para morar continua sendo uma das maiores prioridades entre as pessoas, que procuram cada vez mais a oportunidade de ter um imóvel próprio. O problema é que nem sempre o comprador tem em mãos todo o dinheiro necessário para adquirir uma casa ou um apartamento.

Uma das alternativas mais usadas para essa questão são os financiamentos imobiliários. Mas, para optar por essa solução, é necessário entender bem como cada modalidade de financiamento funciona e qual delas melhor se encaixa na sua situação.

Veja a seguir quais são as principais maneiras de financiar um imóvel e como cada uma delas acontece.

Minha Casa Minha Vida

Esse sistema de financiamento foi criado em 2009 pelo Governo Federal e serve para facilitar a compra de um imóvel próprio por famílias que tenham renda bruta de até R$ 7.000,00 por mês. Essa modalidade se divide em faixas de renda, permitindo diferentes maneiras de realizar o financiamento conforme o poder aquisitivo de cada família. A divisão ocorre da seguinte maneira. Você pode saber em qual faixa se encaixa e como pode realizar o financiamento pelo MCMV baixando este e-book.

Sistema Financeiro de Habitação

Assim como o MCMV, o Sistema Financeiro de Habitação também é realizado pelo Governo Federal . Ele é assegurado pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e também pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Esse sistema é o mais utilizado no país para financiar imóveis de até R$ 750 mil.

O SFH conta com algumas normas para financiamento: as parcelas não podem exceder 30% da renda do comprador; o juro máximo é de até 12%; o teto de concessão é de até R$ 585 mil e o prazo para quitar a dívida é de até 35 anos.

Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo

Diferente do SFH, o SBPE já não determina um limite de renda comprometida. Outra diferença é que os juros do SBPE podem variar bastante: para imóveis cujo valor está abaixo das normas do SFH, os juros podem ser de no máximo 12%; caso o valor do imóvel seja superior, os juros também podem ser maiores que 12%.

Crédito Imobiliário para Servidor Público

Como o próprio nome já indica, essa modalidade busca facilitar a aquisição de um imóvel próprio para os servidores públicos. Assim como o MCMV e o SFH, o Crédito Imobiliário também foi criado pelo Governo e pode ser adquirido por meio de dois bancos: Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Por meio desses sistema, o comprador pode realizar um financiamento com juros de no mínimo 5% e prado de quitação de até 15 anos.

Sistema de Financiamento Imobiliário

Esse sistema foi implementado como uma maneira de complementar o Sistema Financeiro de Habitação. Assim como o SBPE, o SFI não possui um limite para comprometimento da renda nas parcelas. Ele também não especifica um valor máximo para o imóvel a ser financiado, desde que a dívida seja quitada em até 35 anos. Devido ao alto valor da concessão, que pode ir de 80% a 90%, os juros do SFI podem mudar bastante.

Outra alternativa que pode ser utilizada na hora de realizar um financiamento é utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Você pode saber tudo sobre como utilizar FGTS na compra de um imóvel clicando aqui. Agora você já conhece algumas das principais formas de realizar um financiamento imobiliário. Qualquer dúvida é só procurar um(a) corretor(a) para te orientar sobre cada detalhe na hora da compra.

Deixe uma resposta

Fechar Menu